ALGUMAS DIFERENÇAS ENTRE CONSERVADORISMO E FASCISMO

ALGUMAS DIFERENÇAS ENTRE CONSERVADORISMO E FASCISMO

15 de dezembro de 2018 1 Por Matheus Oliveira

É muito comum para quem embarca nos estudos das ciências políticas e sociais, fazer uma confusão de conceitos que são superficialmente semelhantes, mas se formos fazer uma análise microscópica, iremos detectar inúmeras diferenças e antagonismos.
1) PRUDÊNCIA: No “modus operandi” da mentalidade conservadora há um grande pilar que é a prudência, prudência esta que rege nossas atitudes e decisões, como um conservador faz política e até mesmo se relaciona com a sociedade em geral, já em movimentos nacionalistas e especialmente no caso do Fascismo, não vemos a prudência como “modus operandi” e nem historicamente, por optarem por idéias revolucionárias, assim como ocorre nos movimentos comunistas e esquerdistas pelo mundo.
2) CONSERVAÇÃO DE VALORES:
Com certeza na escola você ja ouviu que o Fascismo era um movimento, cuja marca principal era o “feixe de varas”, que era um simbolo do Imperio Romano cuja filosofia pregava que várias varas unidas jamais seriam quebradas, o que simploriamente pode parecer conservador, querer conservar um conceito que vive no imaginário italiano, uma vez que o Império Romano manifestou inicialmente seu poderio e base na península itálica, mas se formos fazer uma análise mais profunda, isto não tem absolutamente NADA de conservador, apenas revolucionário, pois quando Mussolini trouxe o feixe de varas, novamente como símbolo Italiano, ele buscava com isso, massificar o seu poder na Italia e o poder do Estado, vide a frase “tudo pelo Estado, nada contra o Estado e nada fora do Estado” e durante o Império Romano, esta filosofia surgiu como um símbolo do Direito Romano, e Mussolini deturpou o significado real deste simbolo para adaptar a filosofia e doutrina fascista, o que também ocorre em outras esquerdas, deturpar determinas coisas para ótica ideológica própria, ou seja, um conservador manteria o significado real e o legado de algum simbolo ou filosofia, já um revolucionário o mudaria, o que pude demonstrar com o Fascismo.
3) SOCIALISMO:
Existe uma enorme desinformação quando falamos do “anti-socialismo” do Fascismo e do Nazismo, pois bem, no caso do Nazismo, basta saber que o termo é uma abreviação de NACIONAL-SOCIALISMO, no caso do Fascismo, Mussolini diversas vezes destaca o Socialismo como algo que representasse o “amor ao povo” e um modo de como a econômia deveria ser (econômia esta adotada pela China atualmente) de que deve existir iniciativa privada e certa liberdade para a existência de um sistema de preços, esse sistema de preços possibilita o cálculo econômico e o cálculo econômico possibilita o controle total da econômia, o que marxistas não compreendem até hoje (e Mises ja falava sobre isso), mensagem esta que foi compreendida pelos fascistas que para planificarem e controlarem a econômia italiana, necessitavam de um sistema de preços para o cálculo econômico e com este cálculo, controlariam a econômia, já que o Socialismo por si só é impossível de ser implementado ao todo. O plano era tornar o capitalismo um caos, o que jamais ocorreria em um país cuja política é conservadora, e naturalmente com o pensamento conservador, a econômia já é liberal.