O RESULTADO DA REVOLUÇÃO

O RESULTADO DA REVOLUÇÃO

1 de dezembro de 2018 2 Por Carlos Morais

O RESULTADO DA REVOLUÇÃO

Para haver uma revolução, basta haver uma mentalidade obtusa e confusa. A mente caótica projeta um mundo utópico, onde não há realidade muito menos uma busca pela verdade. Há uma completa ignorância dos valores e dos princípios sociais e estruturais.
Como foi elencado pelo filósofo Olavo de Carvalho, onde ele define revolução como: “[…]um processo de reconstrução total da sociedade, através da concentração de poder”. Logo percebe-se, que a mentalidade revolucionária, ignora tudo e todos, principalmente a Civilização Ocidental. O resultado desse projeto extremista e inconsistente, é, e sempre será um reino de destruição, miséria e morte. Onde o sangue dos inocentes e dos idiotas uteis será abundante.
A Revolução Francesa é um grande exemplo de como uma pequena parcela da sociedade pode subverter toda ela. O lema Jacobino (Esquerda), durante a Revolução era: “Nós precisamos enforcar o último Rei, nas tripas do último Padre!”. A Revolução Francesa terminou com mais de 65.500 mortos, mas esse número ficou pequeno quando comparado com as demais revoluções que aconteceram nos séculos seguintes.
Uma coisa é certa e clara para aqueles que querem ver: quando a cultura socialista/comunista arromba as mentes dos inocentes e dos inimigos da raça humana, o resultado é sempre uma assombrosa e terrível cifra de cadáveres humanos. Foi assim na França, na Rússia, na China, etc. O resultado é sempre esse.
Como já dizia o filósofo inglês Edmund Burke sobre a Revolução: “É impossível estimar a perda que resulta da supressão dos antigos costumes e regras de vida. A partir desse momento não há bússola que nos guie, nem temos meios de saber a qual porto nos dirigimos!”.